Ailton Krenak, liderança indígena nacional, participa hoje do Terreiro Cariri

Ailton Krenak é da etnia crenaque. A palestra está programada para esta segunda-feira, 16, às 19h, dentro da programação da I Jornada Cultura Viva e Bem Viver no Cariri, que ocorre dentro da programação do Terreiro Cariri Moacpes.

A transmissão acontecerá ao vivo pelo canal do youtube Terreirocariri. Krenak é natural de Itabirinha, no estado de Minas Gerais, é ativista, ambientalista, escritor e grande referência na luta pelos direitos humanos.

Sendo assim, será uma conversa muito construtiva, rica e direcionada. Ailton é professor Honoris Causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) desde 2016, quando recebeu o título, onde leciona as disciplinas “Cultura e História dos Povos Indígenas” e “Artes e Ofícios dos Saberes Tradicionais”, ambos em cursos de pós graduação. É considerado uma das maiores lideranças do movimento indígena brasileiro, possuindo reconhecimento internacional.

Saiba mais sobre Ailton Krenak

Na adolescência, mudou-se com sua família para o Paraná, onde se alfabetizou e se tornou jornalista. Na década de 1980, passou a dedicar-se exclusivamente ao movimento indígena. Em 1985, fundou a organização não governamental Núcleo de Cultura Indígena, que visa a promover a cultura indígena.

Em 1988 participou da fundação da União dos Povos Indígenas, organização que visa representar os interesses indígenas dentro do cenário nacional. No ano seguinte, participou da Aliança dos Povos da Floresta, movimento que visava ao estabelecimento de reservas naturais na Amazônia. Retornou a Minas Gerais, onde passou a se dedicar ao Núcleo de Cultura Indígena.

Em 2000 protagonizou o documentário Índios no Brasil produzido pela TV Escola que, dividido em dez partes, aborda a Identidade, línguas, costumes, tradições, a colonização e o contato com o branco, a briga pela terra, a integração com a natureza e os direitos conquistados dos indígenas até fins do século XX. Participou de uma série na plataforma de streaming Netflix chamada Guerras do Brasil produzida em 2018, que relata com detalhes a formação do Brasil ao longo de séculos de conflito armado, começando com os primeiros conquistadores até a violência na atualidade.

Em 2021, lançou o livro Ideias para adiar o fim do mundo, uma das obras mais vendidas das livrarias brasileiras, com versões lançadas em inglês, francês e alemão. É autor ainda de A vida não útil e A queda do céu. Foi assessor especial do Governo de Minas Gerais para assuntos indígenas de 2003 a 2010. Atualmente se encontra na Serra do Cipó (MG), onde está envolvido na ONG Núcleo de Cultura Indígena.

Fonte: Assessoria Commonike

Faixa atual

Título

Artista

Background