Ao criticar governo Bolsonaro, Miriam Leitão lembra de Brejo Santo

A jornalista Miriam leitão, das Organizações Globo, destacou a educação no município de Brejo Santo como um exemplo de contraponto da “agenda perdida” do governo federal. No programa homônimo, Miriam tratou o assunto como “o que não deveríamos estar discutindo e não estamos”. A conversa foi com Mozart Neves e Regina de Assis, dois especialistas no assunto.

No breve momento em que tratou sobre a cidade caririense, a jornalista lembrou que que já visitou Brejo e que viu de perto avanços na metodologia que permite que alunos de escola pública aprendam a ler com seis anos de idade, no ensino infantil.

“Não falta assunto urgente na agenda da educação brasileira, o que falta é foco do governo nos itens que são realmente importantes. O Fundeb tem prazo até o ano que vem para ser renovado e o MEC nem toca no assunto”, escreveu ainda no blog.

O MEC é um dos maiores orçamentos do governo e é uma das pastas mais problemáticas até então,com um ministro substituído após não atender as expectativas nos primeiros três meses de gestão Bolsonaro.

Em uma reportagem da revista Veja de 2015, a repórter Bianca Bibiano escreveu que “o Ideb de 2013, índice do governo federal que combina taxas de evasão e repetência com desempenho escolar no nível fundamental, a cidade exibe nota 7,2 – a média brasileira é 5,2. Em uma das unidades locais de ensino, a Escola Maria Leite de Araujo, a presença de galinhas no pátio de terra batida não permite suspeitar de uma nota invejável: 9,2”.

Fonte: Felipe Azevedo/Agência Miséria

Faixa atual

Título

Artista

Background