Apesar de melhoras na pandemia, 20 cidades do Ceará ainda têm nível de alerta altíssimo para a Covid

No Ceará, os últimos meses têm sido de consolidação de queda nas internações e mortes por Covid-19. A vacinação, apesar dos gargalos, avança e impacta o cenário epidemiológico. Contudo, mesmo com a melhora, ao menos 20 das 184 cidades do Estado ainda registraram nível de alerta altíssimo para a transmissão do coronavírus, no período de 19 de setembro a 2 de outubro, segundo a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

Para calcular o nível de alerta, a Sesa monitora os seguintes indicadores:

Incidência de casos de Covid-19 por dia /100 mil habitantes
Internações pelos CIDs causas respiratórias
Percentual de leitos UTI-Covid ocupados
Taxa de letalidade por Covid-19
Taxa de positividade em testes RT-PCR

No caso das cidades que ainda estão com o nível altíssimo, significa que, na equação dessas taxas, ao menos uma delas permanece elevada, portanto, ainda preocupa.

É o caso de Fortaleza que, apesar dos baixos índices nas demais categorias, como as internações e taxa de positividade dos exames no período, ainda registrou taxa de letalidade de 3,6%. No Estado, de modo geral, essa taxa foi de 1,9% no intervalo de tempo em questão.

Para alcançar o status de “novo normal” – considerado “melhor cenário” na escala dos níveis de alerta – a taxa de letalidade deve ser inferior a 1%. Os indicadores sobre a disseminação do vírus no território cearense são publicados pela Sesa desde dezembro de 2020. A ideia é que os gestores municipais possam usar esse monitoramento como referência para a tomada de decisões em cada cidade.

Além de Fortaleza, outras 19 cidades cearenses apresentaram, neste recente monitoramento, índices elevados, e, portanto, constam na lista de nível de alerta altíssimo. São elas:

Antonina do Norte
Assaré
Barroquinha
Capistrano
Chorozinho
Crato
General Sampaio
Guaiuba
Ipaumirim
Ipueiras
Mombaça
Morrinhos
Nova Russas
Paracuru
Poranga
Quiterianópolis
Salitre
Santa Quitéria
Trairi

Na outra ponta, outras 60 cidades cearenses têm nível de alerta considerado baixo, ou seja, os indicadores referentes à situação da doença, aos testes e à estrutura hospitalar não geram temor. Em algumas cidades, inclusive, nas últimas duas semanas, a taxa de letalidade chegou a 0%.

FLEXIBILIZAÇÃO DAS ATIVIDADES
Embora os indicadores da pandemia venham, em geral, melhorando no Ceará, as autoridades de saúde reforçam que é necessário cautela, principalmente diante de preocupações como as variantes do coronavírus. Além disso, há reiteração da necessidade de comparecimento à vacinação, seja para receber a 1ª, 2ª ou dose de reforço dos imunizantes contra a Covid.

Nos últimos meses, diante deste cenário, as medidas de flexibilização e retomada das atividades avançaram no Estado. Na última sexta-feira (1º), houve, por exemplo, ampliação do horário dos restaurantes (até as 2h), aumento da capacidade para eventos sociais e corporativos, e a prioridade para o ensino presencial.

O decreto entrou em vigor nesta segunda-feira (4) e valerá por 15 dias. “Os números de casos e óbitos seguem em queda em todo o Estado, e o processo de vacinação avançando no Ceará. Reforço a importância de todos os cearenses acima de 12 anos se vacinarem. Só com a vacinação em massa conseguiremos superar de vez essa pandemia”, explicou o governador Camilo Santana ao anunciar, na sexta-feira, a atualização na norma.

Fonte: Diário do Nordeste

Faixa atual

Título

Artista

Background