Bandeiras representam fiéis na celebração do Domingo de Ramos

Foto: Rozelia Costa

A tradicional celebração do Domingo de Ramos, que dá início a Semana Santa aconteceu, na Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores, com portas fechadas e sem a presença dos fiéis, que foram representados pelas bandeiras do Brasil e dos Estados do Nordeste, distribuídas nos bancos da Casa da Mãe das Dores.

A procissão deste dia costumeiramente percorreria algumas das principais ruas da cidade, com a presença de centenas de fiéis, mas aconteceu de maneira diferenciada: dentro da própria igreja, apenas com os padres e diácono, dirigindo-se ao altar.

As mudanças nos atos litúrgicos foram orientadas pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, apenas durante esta época de pandemia, já que as celebrações não podem ter a presença física de pessoas. “Aqueles que nos acompanham estão com o coração e suas preces, lotando os bancos desta igreja”, afirma o vigário paroquial, Padre Antônio Romão.

Unidos pela oração

Durante a homilia, o Padre Cícero José, pároco e reitor da Basílica Santuário, fez uma reflexão acerca do silêncio de Jesus: “O silêncio do Senhor denúncia a maldade daqueles que O entregam à morte. Revela também a compreensão da sua existência na terra, como realização da vontade de Deus”, disse o sacerdote.

Antes da benção final, o padre agradeceu a todos que estão na linha de frente, no combate ao Covid-19 e a todos os romeiros, devotos e devotas, que acompanham as celebrações e rezam juntos. Por isso a ideia de representá-los nas bandeiras colocadas nos bancos da igreja. “Esta expressão é para dizer que os romeiros estão nos nossos corações. Costumo dizer que, mesmo de longe, ninguém solta a mão de ninguém.”

Fonte: Site Basílica Santuário Mãe das Dores

Foto: Rozelia Costa

Faixa atual

Título

Artista

Background