Edifício Andrea: 2 mortos, 9 resgatados com vida e 9 seguem desaparecidos, segundo o Corpo de Bombeiros

O trabalho de buscas por vítimas do desabamento do Edifício Andrea segue nesta quarta-feira (16). Os trabalhos seguem ininterruptos desde o primeiro atendimento à ocorrência, com o revezamento de equipes do Corpo de Bombeiros.

Os militares também deram início, na madrugada, à retirada dos entulhos, que são levados por caminhões que acessam o local e cerca de 150 voluntários se revezam com auxílio no resgate e ajuda a vítimas.

DADOS ATUALIZADOS: 2 MORTOS, 9 FERIDOS E 9 DESAPARECIDOS

A primeira vítima foi um entregador de água que estava em um mercadinho atingido pelos destroços, conforme informação do Corpo de Bombeiros. A segunda morte é de uma mulher ainda não identificada. Ela foi encontrada na madrugada e ainda está sob os escombros. Além das pessoas que morreram, 9 seguem desaparecidas e 9 foram resgatadas com vida.

Nesta manhã, apenas dois feridos continuavam no Instituto Dr. José Frota (IJF)

Cleide Maria da Cruz Carvalho, de 60 anos – deu entrada no hospital com ferimentos no corpo, mas o quadro é estável
Gilson Gomes, de 53 anos – resgatado do mercadinho ao lado do prédio

Na terça-feira, também foram atendidos no local:

Antônia Peixoto Coelho, de 72 anos – estado de saúde considerado grave. Foi levada a pedido da família para um hospital particular
Voluntário da Cruz vermelha que teve a mão machucada (o nome dele não foi divulgado)
Outras vítimas resgatadas foram levadas para hospitais particulares.

CHUVA DURANTE RESGATE

Pela manhã, a chuva que caiu sobre a Capital diminuiu o ritmo do trabalho por alguns momentos mas, tão logo acabou, as equipes retomaram os trabalhos sobre os escombros.

Segundo um bombeiro, a chuva fraca não atrapalha o serviço e pode até ajudar, pois baixa a poeira e ameniza o calor. Se a precipitação for mais forte, contudo, é recomendado que o trabalho seja suspenso, porque há risco, inclusive, para a equipe de resgate.

DESABAMENTO: ENTENDA O QUE HOUVE

O Edifício Andrea desabou na manhã desta terça-feira (15), por volta das 10h28, no cruzamento da Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli, no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza. O prédio não tinha registro oficial da Prefeitura de Fortaleza.

Fonte: Diário do Nordeste

Faixa atual

Título

Artista

Background