Letalidade em ações policiais cresce 56% em cinco estados brasileiros, aponta estudo

Pelo menos 237 operações policiais resultaram em mortes no Brasil entre junho e outubro deste ano, conforme revela o estudo “Retratos da Violência”, divulgado nesta quinta-feira (21) na Assembleia Legislativa do Ceará. No total, 291 pessoas morreram e 97 ficaram feridas por intervenção policial no Ceará, Pernambuco, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro entre junho e outubro deste ano. O aumento é de 56% se comparado ao mesmo período de 2018.

“Em 28% das ações policiais monitoradas houve mortos e feridos. Mas esse valor varia significativamente entre os estados. O Rio de Janeiro se destaca não só pelo número de operações policiais, mas pela sua letalidade: 49% das ações monitoradas teve vítimas”, destaca o estudo.

O monitoramento acompanhou 1.384 operações e 1.274 patrulhamentos. Em 59% dos casos, a força envolvida era a Polícia Militar e em 33% a Polícia Civil. A Polícia Federal esteve envolvida em 5% e a Polícia Rodoviária Federal esteve envolvida em 6% dos eventos.

O estudo mostra também que o número de homicídios caiu em todos os estados pesquisados no período. O Ceará teve a maior redução: 52,27%.

O levantamento inédito acerca da violência também apontou que, de junho a outubro de 2019, foram 528 casos de mulheres vítimas de feminicídios, tentativas de feminicídio, agressões físicas ou sexuais. Em São Paulo foram 60 feminicídios, seguido por 39 na Bahia, 37 em Pernambuco, 35 no Rio de Janeiro e 31 no Ceará. O restante, 326, foram tentativas de feminicídio, agressões físicas ou sexuais.

Crimes homofóbicos

O estudo mostra ainda que a violência atinge outros grupos da sociedade historicamente vulneráveis. Nos estados analisados, foram 14 episódios de racismo e 7 de intolerância religiosa. Já os casos de violência contra a população LGBTI+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersex) chegaram a 35, sendo 22 letais.

De acordo com a Rede de Observatórios da Segurança, foram analisados 4.764 fatos relacionados à Segurança Pública ao longo dos cinco meses. Do total, 2.658 casos foram de ações policiais, abusos e vitimização de agentes ou corrupção policial.

No Rio de Janeiro, das 1.427 operações policiais acompanhadas, 49% fizeram vítimas, sendo o Estado com maior número de atingidos. São Paulo, com 674 operações, e Bahia (255) registraram percentuais inferiores: 11% e 12%, respectivamente. Pernambuco (65) e Ceará (237) somaram 5% e 3% das operações com vítimas.

Pesquisa

Em cada estado de atuação houve apoio de instituição, entidade ou grupo de pesquisa para reforçar a equipe e recolher diariamente informações sobre violência e segurança dos principais jornais, portais de notícias, grupos de WhatsApp e Telegram, contas no Twitter e páginas no Facebook. Os pesquisadores explicaram que, no intuito de assegurar as informações, cada registro contabilizado no banco de dados foi baseado em, pelo menos, duas fontes.

Para coletar os dados os pesquisadores levantaram informações oficiais por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI) e entraram em contato com entidades da sociedade civil – como coletivos de bairros, grupos de mães, defensores, pesquisadores, policiais e a imprensa.

“Buscamos, junto aos nossos parceiros, estabelecer uma rotina de solicitações de informações por LAI que obrigue os estados a fornecerem dados que, aliás, não pertencem aos governos, mas são públicos”, destaca o documento.

Fonte: G1

Faixa atual

Título

Artista

Background