Mesmo com o carnaval cancelado, é importante “não aglomerar”, alerta médica infectologista do Hapvida

Devido à pandemia do novo coronavírus, a comemoração do carnaval foi cancelada nas principais cidades que promovem as maiores festas do Brasil, como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Recife. A medida foi vista como essencial para conter a disseminação do vírus que ainda estamos enfrentando. Em alguns locais o feriado também foi suspenso e os estabelecimentos irão funcionar normalmente.

De fato, eventos como esse seriam um agente de fácil propagação da Covid-19, porém é importante se atentar para as festas privadas e clandestinas que possam vir a acontecer no feriado e gerar aglomeração, contribuindo com isso para o aumento progressivo de novos casos e assim provocar um colapso e superlotação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

A médica infectologista e Diretora Corporativa de Infectologia do Sistema Hapvida, Dra. Silvia Fonseca, lembra que é muito importante não aglomerar no feriado de carnaval porque o vírus ainda continua circulando e infectando milhares de pessoas diariamente. “Precisamos ser mais prudentes e cuidadosos. O correto é curtir em casa, sem aglomerar, e se precisar sair para resolver algo na rua, é imprescindível o uso de máscara e álcool em gel”, disse.

O Brasil já ultrapassou a marca de 3 milhões de vacinados, porém esse número ainda não é o essencial para que grandes aglomerações venham a acontecer. A maioria dos imunes são profissionais da saúde que estão no enfrentamento ao coronavírus, e idosos. Espera-se que as vacinas sejam produzidas brevemente em larga escala e englobe um número maior de pessoas, mas agora a recomendação dos órgãos de saúde ainda é ficar em casa e não aglomerar.

Fonte: Assessoria de Imprensa Commonike

Faixa atual

Título

Artista

Background