OAB Subseção Crato está solicitando a Defensoria Pública do Estado e ao Ministério Público a abertura de investigação no sistema do conselho municipal de água do Crato

Nesta segunda feira dia 10 de junho a OAB Subseção Crato se retirou do conselho municipal da água do Crato e denunciou que empresa contratada poderá cortar água de quase 15 mil residências, segundo os vereadores, e por não comungar com o sistema que considera inconstitucional se retirou do conselho municipal da água do Crato e vai solicitar investigação para que apure as responsabilidades do conselho da água criado para terceirizar a responsabilidade e função da câmara municipal do Crato.

Até hoje a população não entendeu porque os senhores vereadores lavaram a mãos e se omitiram em legislarem através de seus mandatos um assunto delicado e de suma importância para a população.

Em entrevista ao Jornal da Educadora, o presidente da OAB Subsecção Crato Dr. Reno Feitosa Gondim disse que o conselho funciona para chancelar as ordens de governo e disse ainda que o aumento exagerado do valor da água no Crato é um absurdo. Ele solicitou aos senhores que planejaram este evento trágico contra a sociedade cratense, que se abstenha de usar o nome da Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção Crato que não compactua e não apoia este sistema.

“A OAB defende o estado democrático de direito. Nós defendemos os interesses sociais e já estamos em contato com a defensoria pública e vamos procurar o ministério público, vamos apurar a fundo e investigar como se deu todo esse procedimento”.Disse o presidente da OAB Subsecção-Crato.

Fonte: Blog do Fábio Lemos

Faixa atual

Título

Artista

Background