Servidores dos Correios do Ceará suspendem greve até julgamento de acordo coletivo

Os servidores dos correios do Ceará decidiram pela suspensão da greve em uma assembleia ocorrida na tarde desta terça-feira (17) na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Correios, Telegráfos e Similares do Ceará (Sintect-CE), em Fortaleza. A decisão segue a orientação da federação nacional para que a paralisação seja suspensa até o julgamento do dissídio coletivo, em 2 de outubro. O estado de greve se mantém e com possibilidade para novas paralisações, de acordo com o sindicato.

A paralisação dos servidores começou no último dia 10 e é contra a retirada de direitos trabalhistas, como a redução do reajuste salarial, de adicionais de férias e horas extras, a responsabilização do servidor em caso de acidentes de trabalho e a privatização da estatal. O sindicato deseja 3,2% de reajuste salarial, e a empresa indica 0,8%.

Os Correios, seguindo orientação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), prorrogou o atual Acordo Coletivo de Trabalho e espera chegar a um entendimento razoável para o ACT 2019/2020. Em nota, a empresa afirma que as federações reivindicam vantagens impossíveis de serem concedidas no atual momento da economia do país.

De acordo com Rodrigo Coelho, diretor de Esporte, Cultura e Lazer do Sintect-CE, o sindicato cearense estava mobilizado para manter a greve até o julgamento e avançar as negociações, no entanto, preferiram manter a unidade nacional e aceitaram a suspensão em unanimidade.

Coelho afirma que estão sendo realizadas discussões sobre a privatização nas câmeras municipais de diversas cidades do Ceará, como Tianguá e Crateús. O objetivo do sindicato é buscar apoio contra a proposta de privatizar a estatal.

Fonte: Diário do Nordeste

Faixa atual

Título

Artista

Background